Informamos a todos, que as postagens inseridas neste blog, são de autoria de seus respectivos produtores, e,
cabe a cada um deles a responsabilidade pela autoria dos itens, bem como o teor de seu conteúdo.

Como veículo de divulgação de informação, temos a responsabilidade de divulgar os itens,
tal qual o que é remetido à nossa assessoria de imprensa.


WhatsApp 11 972914716

Qualquer contato conosco deverá ser efetuado através do "Formulário de Contato", disponível no final desta página (rodapé).

Centro de Inteligência Artificial apoiado por FAPESP, IBM e USP inicia atividades

C4AI terá foco inicial em desafios relacionados à saúde, meio ambiente, cadeia de produção de alimentos, futuro do trabalho e desenvolvimento de tecnologias de processamento de linguagem natural em português do Brasil (imagem: divulgação)

A FAPESP, a IBM e a Universidade de São Paulo (USP) anunciaram ontem (13/10) o início das atividades do Centro de Inteligência Artificial (C4AI).

Apoiado pela FAPESP, no âmbito do Programa Centros de Pesquisa em Engenharia (CPE), o Centro será dedicado ao desenvolvimento de estudos e à pesquisa de ponta em IA para endereçar temas de grande impacto social e econômico.

O C4AI será sediado no prédio do Centro de Pesquisa e Inovação InovaUSP, localizado campus da USP, em São Paulo, e contará também com uma segunda unidade para capacitar estudantes e profissionais no Instituto de Ciências Matemáticas e da Computação (ICMC), no campus da USP em São Carlos, com início das atividades previsto para fevereiro de 2021.

A FAPESP e a IBM reservarão, cada uma, R$ 2 milhões anualmente nos próximos cinco anos para implementar o programa do centro, que contará com avaliações periódicas das atividades. Em contrapartida, a USP investirá R$ 4 milhões por ano em instalações físicas, laboratórios, professores, técnicos e administradores para gerir a unidade, entre outros custos.

"O início da operação do Centro de Inteligência Artificial representa a continuidade de um acordo firmado entre a FAPESP e a IBM em 2016, e faz parte de um esforço contínuo da Fundação em promover parcerias em pesquisa entre universidades e empresas", disse Luiz Eugênio de Mello, diretor científico da FAPESP, durante a cerimônia on-line de lançamento do Centro.

"Apesar de no Estado de São Paulo já existir uma boa interação entre universidades e empresas é possível avançar ainda mais nesse sentido", avaliou Mello.

O C4AI terá foco inicial em cinco grandes desafios relacionados à saúde, meio ambiente, cadeia de produção de alimentos, futuro do trabalho e no desenvolvimento de tecnologias de processamento de linguagem natural em português do Brasil, procurando maneiras de melhorar o bem-estar humano e apoiar iniciativas para diversidade e inclusão.

Em paralelo, três comitês de acompanhamento serão criados para promover temas de interesse comum do país, com foco na indústria, ciência e sociedade. Os comitês visam ampliar esses cinco desafios iniciais e conferir a eles uma aplicação real que seja útil para as empresas e a sociedade brasileira.

"Procuramos identificar problemas que são estratégicos para o Brasil, para os quais pesquisa brasileira pode fazer diferença e que os pesquisadores da IBM podem contribuir e que o país tem massa crítica para abordar", disse Fabio Cozman, professor da USP e diretor do centro.

Temas de pesquisa

Na área agrícola, o objetivo das pesquisas será desenvolver e aplicar modelos de correlação avançados para a tomada de decisão baseada na causa e efeito, abordando questões como o desperdício de água e de alimentos.

Na área ambiental, os pesquisadores combinarão aprendizado de máquina com conhecimento simbólico para abordar perguntas complexas sobre a Amazônia Azul – vasta região do oceano Atlântico, na costa brasileira, rica em biodiversidade e recursos energéticos – e sobre o ecossistema marinho. Uma das perguntas que pretendem responder, por exemplo, é o que causou o aparecimento de manchas de óleo na costa do Nordeste do Brasil em 2019.

Já no setor da saúde será realizado um estudo em duas frentes de pesquisa. A primeira terá o objetivo de melhorar o diagnóstico, o tratamento e a reabilitação de pacientes que sofreram acidente vascular cerebral (AVC) por meio de técnicas de análise de redes complexas em dados multimodais. A segunda terá como foco investigar formas de melhorar a escolha de protocolos de reabilitação em casos de AVC.

Outro objetivo será habilitar o processamento de linguagem natural de alto nível para o português do Brasil, assim como já existe para outros idiomas, com o intuito de aprimorar os serviços de atendimento ao cliente, o treinamento de assistes virtuais, o monitoramento de redes sociais, bem como possibilitar a análise e a extração de conhecimento de grandes fontes de dados.

O C4AI também focará em pesquisas relacionadas às políticas públicas para a inteligência artificial e à coleta e análise de dados sobre o impacto da IA nos empregos e no futuro do trabalho.

"A agenda de pesquisa abrange temas de ponta na área de inteligência artificial, de modo a estar alinhada ao que está sendo feito em outros lugares no mundo", diz Cláudio Pinhanez, pesquisador da IBM e vice-diretor do C4AI.

O centro será o primeiro na América do Sul a fazer parte do IBM IA Horizons Network (IAHN) – um programa criado em 2016 para promover a integração e a colaboração entre as principais universidades do mundo, estudantes e pesquisadores da IBM comprometidos em acelerar a aplicação de IA a alguns dos maiores desafios globais e locais, disse Jeffrey Welser, VP Exploratory Science & Universities Programs da IBM Research.

"Já temos alguns centros nos Estados Unidos, Europa, Ásia e esse será o primeiro na América do Sul. Será uma grande oportunidade para fortalecer a parceria com universidades", avaliou Welser.

Fonte: Elton Alisson - Agência FAPESP

Notícia com apoio cultural de    http://qsaudavel.com 


Nenhum comentário:

Postar um comentário