Informamos a todos, que as postagens inseridas neste blog, são de autoria de seus respectivos produtores, e,
cabe a cada um deles a responsabilidade pela autoria dos itens, bem como o teor de seu conteúdo.

Como veículo de divulgação de informação, temos a responsabilidade de divulgar os itens,
tal qual o que é remetido à nossa assessoria de imprensa.


WhatsApp 11 972914716

Qualquer contato conosco deverá ser efetuado através do "Formulário de Contato", disponível no final desta página (rodapé).

Transmissão on line - Centro de Estudos debate obesidade infantil

Centro de Estudos debate obesidade infantil

 O próximo Centro de Estudo da ENSP abordará um tema muito debatido nos últimos anos, em virtude do aumento do número de casos: a obesidade infantil. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), é, hoje, um dos problemas de saúde pública mais graves do século XXI e afeta todos os países em graus variados, principalmente os grupos socioeconômicos mais baixos. Está relacionada com uma série de fatores, como hábitos alimentares e inatividade física, além de fatores biológicos, comportamentais e psicológicos. Para debater o tema, no dia 7/8, a partir das 14 horas, a ENSP receberá Ekaterine Karageorgiadis, do Instituto Alana e membro do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea). A atividade é aberta ao público, não necessita de inscrição prévia e será transmitida pela internet.

Crianças obesas possuem grandes chances de desenvolver doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes, males cardiovasculares, entre outras. O sobrepeso e a obesidade são o quinto principal fator de risco de disfunção no mundo. Dados da OMS apontam que, a cada ano, cerca de 3 milhões de pessoas morrem no mundo em consequência do sobrepeso ou da obesidade. Estes também são responsáveis por 44% dos casos de diabetes, 23% dos casos de cardiopatias isquêmicas e de 7% a 41% de algum tipo de câncer.

Recentemente, a OMS divulgou que anúncios televisivos e mídias sociais são grandes estimuladores do consumo de alimentos ricos em gordura, açúcar e sal entre as crianças, mesmo quando estão em locais que deveriam estar protegidas, como escolas e instalações esportivas. A promoção desse tipo de alimento é apontada como um fator de risco significativo para obesidade infantil e, em idade mais avançada, diversas doenças. Segundo a Iniciativa de Vigilância da Obesidade Infantil (OMS), em média um terço das crianças entre 6 e 9 anos pode ser considerado obeso ou acima do peso.

Documentário aborda questão da obesidade infantil

Na ocasião do Centro de Estudos, coordenado por Rosana Magalhães, pesquisadora do Departamento de Ciências Sociais da ENSP, será exibido o documentário Muito além do peso. O filme traz, pela primeira vez na história da raça humana, crianças que apresentam sintomas de doenças de adultos. Problemas no coração, respiração, depressão e diabetes tipo 2, todas têm, em sua base, a obesidade. Mais informações em muitoalemdopeso.com.br e faça o download do documentário. 

O documentário discute por que 33% das crianças brasileiras pesam mais do que deviam. As respostas envolvem a indústria, o governo, os pais, as escolas e a publicidade. Com histórias reais e alarmantes, o filme promove uma discussão sobre a obesidade infantil no Brasil e no mundo.

Por meio de uma série de entrevistas com especialistas nacionais e internacionais, o documentário analisa, em diferentes ângulos, não apenas as consequências do sobrepeso infantil, mas também suas origens econômicas e sociais. Compara, ainda, o contexto brasileiro com o internacional, indicando claramente que a doença já se transformou em pandemia. O filme tem como principal argumento os depoimentos de crianças com sobrepeso e obesidade e de suas famílias, numa tentativa de entender mais as origens do problema.