Informamos a todos, que as postagens inseridas neste blog, são de autoria de seus respectivos produtores, e,
cabe a cada um deles a responsabilidade pela autoria dos itens, bem como o teor de seu conteúdo.

Como veículo de divulgação de informação, temos a responsabilidade de divulgar os itens,
tal qual o que é remetido à nossa assessoria de imprensa.


WhatsApp 11 972914716

Qualquer contato conosco deverá ser efetuado através do "Formulário de Contato", disponível no final desta página (rodapé).

Até agosto, o terraço do Centro Cultural São Paulo (CCSP) recebe sessões gratuitas de cinema, sempre uma vez por mês, aos domingos. As datas são: 17 de junho, 29 de julho e 5 de agosto, às 18h30.


inRead invented by Teads... Créditos: João Mussolin/divulgação

A experiência cinematográfica se completa com oficinas de stop motion para crianças e produção de videoclipes ao longo do dia, além de espaço para discussões nos Talks. A cada mês serão dois especialistas que usarão o filme como gancho para oferecer uma ótica diferente dos temas propostos, com mediação de Juliana Sabbag (do portal Cinema na Mesa). A curadoria de filmes é de Renata Ávila Alamy.
PUBLICIDADE

Confira a programação:

Junho
Data: 17/6
Filme: "Inception" (2010)
Sessão às 18h30 (sujeito a lotação)
Tema do Talk: Sonhos lúcidos e Hiper realidade (com Monique Evelle e Lina Lopes) • às 17h30

Oficinas:
- OFICINA CHIRRIN CHIRRION | Stop Motion para Crianças (6 - 12 anos, acompanhadas dos pais) • Criação de cenas curtas e efeitos especiais com smartphones da Família #motoZ e moto Snaps™️ • Das 14h às 17h • 10 vagas
- OFICINA VIDEOCLIPE | Produção de clipes para Jovens (13 - 18 anos) • Gravação de performances artísticas para os grupos de dança que ensaiam no CCSP com smartphones da Família #motoZ e moto Snaps™️ • Das 17h às 20h30 • 2 vagas

Julho
Data: 29/7
Filme: "Lost in Translation" (2004)
Sessão às 18h30 (sujeito a lotação)
Tema do Talk: A Cumplicidade na Solidão (com Natália Garcia e Piti Koshimura) • às 17h30

Oficinas:
- OFICINA CHIRRIN CHIRRION | Stop Motion para Crianças (6 - 12 anos, acompanhadas dos pais) • Criação de cenas curtas e efeitos especiais com smartphones da Família #motoZ e moto Snaps™️ • Das 14h às 17h • 10 vagas
- OFICINA VIDEOCLIPE | Produção de clipes para Jovens (13 - 18 anos) • Gravação de performances artísticas para os grupos de dança que ensaiam no CCSP com smartphones da Família #motoZ e moto Snaps™️ • Das 17h às 20h30 • 2 vagas

Agosto
Data: 5/8
Filme: "Blade Runner" (1992) • Sessão às 18h30 (sujeito a lotação)
Tema do Talk: Andróids Sonham com Ovelhas Elétricas? (com Lídia Zuin e André Alves) • às 17h30

Oficinas:
- OFICINA CHIRRIN CHIRRION | Stop Motion para Crianças (6 - 12 anos, acompanhadas dos pais) • Criação de cenas curtas e efeitos especiais com smartphones da Família #motoZ e moto Snaps™️ • Das 14h às 17h • 10 vagas
- OFICINA VIDEOCLIPE | Produção de clipes para Jovens (13 - 18 anos) • Gravação de performances artísticas para os grupos de dança que ensaiam no CCSP com smartphones da Família #motoZ e moto Snaps™️ • Das 17h às 20h30 • 2 vagas


Central de Informações
3397-4002
ccsp@prefeitura.sp.gov.br

por Redação

Oficina Colaborativa de modelo vivo


De agosto de 2017 a outubro de 2018

Nesta oficina não há modelos, os próprios participantes se revezam posando entre si, permitindo que todos experimentem livremente as diversas facetas da produção artística. Ao se ver como artista e modelo o participante expande seus limites perceptivos e passa a entender sua produção e a extensão do corpo de outra forma.

sextas, às 14h30 – 120min – 12 anos – Sala de Ensaio II – 60 pessoas (por ordem de chegada) – aberta ao público em geral interessado em desenvolver habilidades técnicas e perceptivas em desenho expandido

*Não haverá oficina nos dias 1º, 22 e 29/6


Centro Cultural São Paulo

Rua Vergueiro 1000 - CEP 01504-000 tel 3397 4002 - Paraíso São Paulo - SP


Câmara aprova perda de imóvel utilizado como cativeiro


Texto estabelece a perda, em favor da União, de imóveis que sejam utilizados como cativeiro nos crimes de sequestro e cárcere privado, e de extorsão mediante sequestro, quando o dono do imóvel participar do crime

A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara aprovou uma proposta que busca garantir a perda do imóvel de quem utilizar o bem para sequestrar pessoas (PL 3852/04).

O texto estabelece a perda, em favor da União, de imóveis que sejam utilizados como cativeiro nos crimes de sequestro e cárcere privado, e de extorsão mediante sequestro, quando o dono do imóvel participar do crime. O juiz deverá declarar a perda na sentença.

O relator, deputado Delegado Edson Moreira, do PR de Minas Gerais, defendeu a aprovação.

"Os crimes de sequestro e cárcere privado, e extorsão mediante sequestro banalizaram-se com o correr dos anos. É preciso que a lei penal restrinja ao máximo as oportunidades da delinquência, e a perda do imóvel utilizado funciona como intimidação do delito."

O texto aprovado pela CCJ garante que a perda do imóvel não poderá ser declarada no caso de bens de família.

A proposta foi aprovada em caráter conclusivo e, portanto, deve seguir ao Senado, a não ser haja recurso para votação pelo Plenário.

Reportagem - Paula Bittar

Festival de Cinema Ambiental discute fontes de energia renovável,O Fica 2018 prossegue até domingo na cidade de Goiás


O coordenador-geral do Fica, Nasr Chaul, e Rodrigo Pedroso, representante da Absolar, durante mesa temática A Nova Energia (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

 
As novas fontes de energia e a importância da diversificação da matriz energética brasileira foram tema de debate hoje (6) durante o 20º Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica), na Cidade de Goiás. Além da extensa programação cultural, o desenvolvimento sustentável é parte do evento nas oficinas e mesas de conversa.

Os participantes da primeira mesa de meio ambiente do Fica, com o tema A Nova Energia, destacaram a importância de se aliar o desenvolvimento tecnológico à preservação do meio ambiente. Para o representante da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), Rodrigo Pedroso, a diversificação e a complementariedade da matriz energética são essenciais para a estabilidade do sistema elétrico. "Temos as hidrelétricas, a energias eólica, a solar, e com isso, uma condição de geração bem contínua. Todas elas, a não ser a de combustíveis fósseis, são importante e se complementam", disse.

O coordenador-geral do Fica, Nasr Chaul, e o representante da Absolar, Rodrigo Pedroso,  durante mesa temática de Meio Ambiente, que discute "A Nova Energia".


Mais de 82% da matriz energética brasileira é de fontes renováveis, sendo mais de 60% hídrica, mas tendência é de diversificação. Segundo Pedroso, o Brasil tem 152 gigawatts de capacidade instalada, sendo apenas 1 gigawatts de energia solar. "Estamos em uma curva de crescimento. A energia solar não é mais a energia do futuro, mas do presente", disse. Segundo ele, a expectativa é que, até 2040, a energia solar represente 32% da matriz energética. "É um recurso que não agride o meio ambiente, temos que usá-lo".

De acordo com representante da Absolar, a Resolução 482 da Aneel, que regulamentou a utilização da energia solar fotovoltaica, permite que cada pessoa gere a sua própria energia elétrica e envie para o sistema da concessionária de energia o que não é utilizado. "Mais do que um benefício ambiental, ela traz um benefício econômico", explicou.

Também há linhas de financiamento específicas para compra de equipamentos e instalação do sistema e a possibilidade de isenção do ICMS na conta de energia. "Precisamos mostrar que não é uma energia inacessível, muita gente não usa por desconhecer. Mas é viável economicamente e ambientalmente", disse Pedroso.

Segundo o especialista, o que vai levantar o setor é a energia solar centralizada, por meio de usinas solares. Ele conta que esse ano, por exemplo, o setor pode participar de um dos leilões de energia do governo federal. "Não somos os salvadores, mas como energia renovável, todos unidos temos condições de resolver problema de abastecimento de energia no Brasil", ressaltou. "Queremos que a energia renovável seja a base do sistema e que ele tenha as termelétricas [que opera com a queima de carvão] como emergência".

Energia eólica
O representante da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), Ney Maron, destacou que o potencial eólico, quando utilizado com responsabilidade, é capaz de fazer transformações socioambientais. A capacidade instalada da energia eólica no Brasil é de 13 gigawatts, sendo 11 gigawatts só no Nordeste. A geração eólica já chegou a abastecer mais de 60% do consumo do Nordeste, por exemplo, e já evitou apagões.

"A matriz brasileira é bastante limpa, com 82% de renováveis. O desafio é não nos contentarmos com isso. [..] E as usinas hidrelétricas não conseguem mais ser viabilizadas por conta das questões socioambientais", disse Maron. Segundo ele, as vantagens da energia eólica é que os parques ocupam as áreas que não havia utilização humana, nem para agricultura, nem para indústria, e ainda podem conviver com outras atividades.

Para ele, não existe atividade humana desprovida de impactos. "Mas é uma questão de escolha. Que a gente vai gerar energia não há dúvida, a discussão é como vai gerar. O viés socioambiental não pode ser deixado de lado, não pode ser só o de menos custo ou de menor tempo de implantação", disse.

O Fica 2018 acontece até o próximo domingo (10). Mais duas mesas de meio ambiente fazem parte da programação. Elas abordarão as questões das novas cidades e da espiritualidade. O festival é uma realização da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte do governo de Goiás.

Por Agencia Brasil

O Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro pediu à Procuradoria-Geral da República (PGR) o impedimento ou suspeição do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes nos processos envolvendo o empresário Orlando Diniz.

MPF do Rio pede impedimento de Gilmar Mendes em processos contra empresário carioca


O empresário, que presidiu a Fecomércio do Rio de Janeiro, por 20 anos, é acusado pela Força-Tarefa da Lava Jato no Estado por crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.


Em oficio enviado à PGR, os procuradores afirmam que as investigações sobre Diniz revelaram fatos que evidenciam eventual suspeição ou impedimento do ministro.


Os procuradores alegam que o Instituto Brasiliense de Direito Público, que tem o ministro como um dos sócios-fundadores e é controlado por sua família, teve uma série de eventos apoiados sob patrocínio da federação presidida por Diniz.


Segundo os procuradores, pelo menos três eventos entre 2015 e 2017, tiveram patrocínios da Fecomércio-RJ: um no Rio de Janeiro e dois em Lisboa.


A quebra de sigilo fiscal da Fecomércio teria revelado o pagamento de R$ 50 mil, em 2016.


Os procuradores citam que Mendes se declarou impedido em processo sobre questões patrimoniais em que a Fecomércio é parte e que tem o escritório de advocacia Sérgio Bermudes como representante legal.


O escritório tem no quadro de advogados em Brasília Guiomar Mendes, esposa do ministro.


O pedido de impedimento traz reportagem de jornal, na qual o ministro informa, por nota, que se declarava impedido para atuar em três casos representados pelo escritório de Bermudes.


No documento, os procuradores consideram descabido que o impedimento do magistrado seja válido em processo de natureza civil e não se aplique em processo de natureza penal, que trata da repressão a crimes graves, como corrupção e lavagem de dinheiro.


No último dia 31 de maio, Gilmar Mendes concedeu liminar habeas corpus determinando a substituição da prisão preventiva de Orlando Diniz por medidas cautelares.


Diniz foi preso por determinação do juiz federal Marcelo Bretas, responsável pelos processos da Lava Jato no estado, sob acusação do MPF de participar em esquema criminoso que desviou mais de R$ 10 milhões de recursos públicos provenientes do Sesc, o Serviço Social do Comércio, e do Senac, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Comércio.

Na semana passada, Brasil foi inserido na lista dos casos suspeitos de violação de direitos trabalhistas


Visão geral do Senado durante sessão em Brasília, no Brasil


OIT decide hoje se reforma trabalhista violou direitos

Na semana passada, Brasil foi inserido na lista dos casos suspeitos de violação de direitos trabalhistas

Análise: a Organização pode pedir mais esclarecimentos ao governo, e ainda definir que uma comissão de especialistas seja enviada ao país para analisar de perto a reforma (Adriano Machado/Reuters)

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) decide, nesta quinta-feira, se a Reforma Trabalhista brasileira violou os acordos da Convenção 98 – a Convenção relativa à Aplicação dos Princípios do Direito de Organização e de Negociação Coletiva –, e se colocou seus próprios trabalhadores em situação de vulnerabilidade.

Na semana passada, a OIT inseriu o Brasil na lista dos casos suspeitos de violação de direitos trabalhistas. Essa suspeita foi motivada pela falta de entendimento sobre como serão as negociações coletivas entre sindicatos e empresas empregadoras, e sobre os impactos que essa incerteza já estava causando.

No ano passado, um estudo da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) mostrou que, entre fevereiro de 2017 e fevereiro deste ano, os acordos coletivos entre um único sindicato e uma empresa caíram 24%, e que o número de convenções coletivas que envolvem sindicatos de trabalhadores e patronais teve redução de 44%.

A queda das negociações acertou em cheio as forças sindicalizadas do país. Uma das principais reações foi a da Central Única dos Trabalhadores (CUT) que entrou, em setembro do ano passado, com uma representação de contestação na OIT levantando dúvidas sobre se a reforma trabalhista poderia romper com acordos coletivos trabalhistas e retirar direitos dos trabalhadores.

Analisando o recurso, o Comitê de Peritos da Organização pediu um esclarecimento do governo brasileiro, uma vez que as primeiras análises mostravam uma "preocupação" com as consequências que a reforma poderia gerar.

O Ministério do Trabalho, respondeu à Comissão de Aplicação de Normas da OIT na tarde de ontem, e afirmou que o Comitê agiu com "parcialidade política", porque não houve tempo hábil para analisar os impactos da reforma trabalhista em setembro do ano passado.  A reposta, porém, não foi suficiente para membros da reunião. Representantes de sindicatos da Bélgica, Espanha, Portugal, Itália, EUA, Canadá, Reino Unido, Uruguai, Paraguai e do Chile, além da própria CUT, atacaram a reforma trabalhista e pediram uma resposta global contra o que consideram retrocesso nos direitos dos trabalhadores.

A Organização pode, agora, pedir mais esclarecimentos ao governo, ou pode ainda definir que uma comissão de especialistas seja enviada ao Brasil para analisar de perto o que define a reforma. Seria má notícia para o governo.

O embate entre a Organização internacional e o governo brasileiro não é de hoje. No ano passado, a Organização criticou fortemente a proposta de modificar o conceito de trabalho escravo, afirmando que a decisão do Ministério do Trabalho pode causar "retrocessos lamentáveis", interrompendo "a trajetória de sucesso do Brasil no combate ao trabalho escravo".

Saiu na revista exame.

Pitty está de volta com sua nova música, "Contramão (Feat. Tássia Reis e Emmily Barreto)".


Imagem: Divulgação

O single é uma parceria com outras duas artistas: Tássia Reis e Emmily Barreto da banda Far From Alaska.

Em sua nova música, Pitty mostra influência de outros estilos musicais., além do rock. A produção da canção ficou por parte de Rafael Ramos, com mixagem de Tim Palmer (U2, Ozzy Osbourne, Pearl Jam e a própria Pitty) e masterização de Chris Athens (Drake e Childish Gambino).



O vídeo foi dirigido por Judith Belfer e conta com produção da Spray Filmes.

Clique na imagem e assista ao vídeo.

Antiprisma une folk e psicodelia em novo single, "Fogo mais Fogo"


Faixa traz participação de Gabriela Deptulski, do My Magical Glowing Lens


O duo Antiprisma lançou um novo single, "Fogo mais Fogo", que traz participação especial de Gabriela Deptulski, do projeto capixaba My Magical Glowing Lens.


A canção já está disponível nos streamings e antecipa o segundo disco da dupla, que será lançado em breve.


No Dia do Meio Ambiente, ONU promove atividades para combater a poluição plástica

Ilha de Fuerteventura, nas Ilhas Canárias. Foto: Flickr/Rasande Tyskar (CC)


Desde que foi instituído, em 1974, o Dia Mundial do Meio Ambiente se tornou a principal plataforma global para sensibilizar pessoas, organizações e países sobre a proteção da natureza.

Este ano, com o tema #AcabeComAPoluiçãoPlástica, a data soma esforços à campanha #MaresLimpos da ONU Meio Ambiente para combater o lixo marinho e mobilizar todos os setores da sociedade global no enfrentamento deste problema — que se não for solucionado, poderá resultar em mais plástico do que peixes nos oceanos até 2050.

A poluição plástica é considerada uma das principais causas atuais de danos ao meio ambiente e à saúde. Mesmo assim, os números da produção e descarte incorreto deste material não param de crescer. Mais plástico foi produzido na última década do que em todo o século passado. Por ano, são consumidas até 5 trilhões de sacolas plásticas em todo o planeta.

A cada minuto, são compradas 1 milhão de garrafas plásticas e 90% da água engarrafada contém microplásticos. Metade do plástico consumido pelos humanos é descartável (e evitável) e pelo menos 13 milhões de toneladas vão parar nos oceanos anualmente, prejudicando 600 espécies marinhas, das quais 15% estão ameaçadas de extinção.

Mais de 100 países já se uniram sob o slogan do Dia Mundial do Meio Ambiente deste ano e se comprometeram com atividades, como mutirões de limpeza de praias e florestas, e anúncios de políticas públicas voltadas ao descarte e consumo responsável do plástico.

Para o diretor-executivo da ONU Meio Ambiente, Erik Solheim, este é um momento crucial para reverter a maré de poluição global. "Precisamos encontrar soluções melhores e mais rápidas do que nunca. Desistir não é uma opção para nós. Agora é a hora de agir juntos — independentemente da nossa idade — pelo bem do nosso planeta", alertou.

No Brasil, a ONU Meio Ambiente irá promover e apoiar uma série de ações durante toda a semana, entre os dias 4 e 11 de junho.
Semana de mobilização contra a poluição plástica

Hoje (4), será assinada a portaria que cria a Comissão Gestora do Plano Nacional de Combate ao Lixo no Mar pelo ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte.

A Comissão, da qual a ONU Meio Ambiente fará parte, terá o prazo de um ano para concluir o Plano Nacional, o qual deverá ser elaborado com a participação de vários setores da sociedade por meio de consulta pública.

Na terça-feira (5), Dia Mundial do Meio Ambiente, a agência e a National Geographic promoverão uma roda de conversa sobre a poluição plástica, que será realizada a partir das 19h30, no Cubo Itaú, em São Paulo.

A enviada especial da NatGeo, Paulina Chamorro, irá comentar os dados e descobertas da edição internacional de maio da revista, cuja capa contendo a obra do designer mexicano Jorge Gamboa e o provocativo título "Planeta ou Plástico?" viralizou mundialmente.



Foto: Jorge Gamboa

Fernanda Daltro, head campaigner da ONU Meio Ambiente, irá falar sobre a campanha Mares Limpos, lançada em 2017.

No mesmo dia (5), a ONU Meio Ambiente e o Sebrae, por meio do Centro Sebrae de Sustentabilidade (CSS), lançarão de forma inédita no país o Portal de Ecoinovação (www.ecoinovação.com.br). A plataforma reunirá informações e conteúdos interativos, como infográficos, publicações e vídeos, para auxiliar o empreendedor brasileiro a embarcar no movimento global da sustentabilidade corporativa.

Na quarta-feira (6), no AquaRio, no Rio de Janeiro, serão anunciados os resultados do Desafio Mares Limpos 2017 com os Escoteiros do Brasil, em que mais de 3 mil escoteiros receberam insígnias Mares Limpos por terem reduzido seu consumo de plásticos descartáveis. Segundo os escoteiros, um dos maiores obstáculos encontrados foi a resistência das próprias famílias em abraçar novos hábitos.

Na ocasião, também serão anunciadas as medidas de redução do plástico descartável nas operações do Grupo Cataratas nos parques nacionais da Tijuca (RJ), Foz do Iguaçu (SC) e Fernando de Noronha (PE). Denise Hamú, representante da ONU Meio Ambiente no Brasil, fará a abertura da exposição "Dá para ser diferente", em que três tanques do AquaRio terão plástico no lugar dos peixes para demonstrar a atual situação dos oceanos.

Na quinta-feira (7), a digital influencer e defensora #MaresLimpos, Fe Cortez, lançará a websérie "Mares Limpos" no canal do projeto "Menos 1 Lixo" no You Tube (www.youtube.com/menos1lixooficial). Serão dez capítulos, com dez minutos de duração cada, abordando o problema da poluição plástica de forma didática e dinâmica. A narrativa incluirá dados, descobertas e entrevistas com ativistas e cientistas do Brasil e do mundo, como o Capitão Charles Moore, que descobriu a ilha de plástico do Pacífico.

Na sexta-feira (8), a ONU Meio Ambiente estará no estado de Santa Catarina, onde as 11 cidades que compõem a Associação de Municípios da Foz do Rio Itajaí (AMFRI) irão aderir à campanha Mares Limpos, comprometendo-se a desenvolver e implementar um Plano Regional de Combate ao Lixo no Mar com foco no Rio Itajaí.

Na sexta-feira (8) e no sábado (9), a ONU Meio Ambiente promoverá, em parceria com a Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e a Secretaria do Meio Ambiente do Governo do Estado do Amazonas (SEMA), o seminário "Dos Rios Limpos e Mares Limpos com os ODS", em Manaus.

Além de inserir a poluição dos rios interiores na agenda de debates sobre lixo marinho, o evento será palco do lançamento da iniciativa "Rios Limpos para Mares Limpos" e contará com a presença de Denise Hamú e do ministro Edson Duarte.

Como parte do objetivo global de promover o "maior clean up do mundo" neste período, a ONU Meio Ambiente também apoiará ações de limpeza de praias e rios durante toda a semana.

Outras atividades que integram as celebrações incluem: participação na mesa da audiência pública na Câmara Municipal de São Paulo sobre o consumo de canudos plásticos (5 de junho), participação na II Semana do Mar de Fortaleza (11 de junho), apresentação em painel na Semana de Meio Ambiente de Santos (7 de junho) e apoio à 7ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, em São Paulo.
O jogo global para que todo mundo #AcabeComAPoluiçãoPlástica

A ONU Meio Ambiente lançou o jogo global #AcabeComAPoluiçãoPlástica para incentivar uma mudança nos hábitos de consumo de plásticos descartáveis.

O desafio começou com influenciadores digitais e celebridades, como o ator Adrian Grenier, postando um vídeo ou foto nas suas redes sociais mostrando a mudança de comportamento que decidiram adotar e que troca algum item de plástico descartável por alternativas mais sustentáveis.

Nesse vídeo ou foto eles marcam três pessoas ou organizações, desafiando-as a mostrar a sua mudança nas próximas 24 horas para combater a poluição plástica e assim por diante, envolvendo cada vez mais pessoas ao redor do mundo.

É rápido e simples participar: decida qual mudança você vai adotar em seu dia a dia para acabar com a poluição plástica, tire uma selfie ou grave um vídeo mostrando sua nova escolha, marque três pessoas/organizações/empresas para desafiá-las e use as hashtags #AcabeComAPoluiçãoPlástica e #DiaMundialdoMeioAmbiente em seus posts. Lembre-se de mencionar a @ONUMeioAmbiente.


ONU Meio Ambiente

Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente


Movimentos de moradia realizam marcha nacional pelo direito à cidade e contra o desmonte da política de habitação


De 5 a 7 de junho, em Brasília, DF, a União Nacional por Moradia Popular (UNMP), a Central dos Movimentos Populares (CMP), a Confederação Nacional de Associações de Moradores (CONAM), o Movimento de Luta de Bairros e Favelas (MLB), o Movimento dos Trabalhadores Desempregados (MTD) e o Movimento Nacional de Luta por Moradia (MNLM) estarão novamente nas ruas em defesa da democracia e da moradia popular. A Marcha Nacional pelo Direito à Cidade – Reforma Urbana Já! reunirá milhares de pessoas para lutar pela retomada da construção da política nacional de desenvolvimento urbano e dos investimentos no Minha Casa Minha Vida-Entidades, dentre outras reivindicações.

Os protestos contra o aumento no preço dos combustíveis que pararam o Brasil foram mais uma evidência de que o povo brasileiro está insatisfeito com tantos retrocessos na política econômica e social. O golpe em 2016 se perpetua e avança sobre a democracia, os direitos e conquistas históricas dos trabalhadores. Por isso, dizemos Fora Temer! Não podemos tolerar um presidente usurpador que implementa uma agenda ultraliberal, derrotada nas urnas por quatro eleições consecutivas.

Nas cidades, os efeitos são de piora significativa na vida das pessoas. Além do aumento no custo de vida, o País atinge novos recordes de desemprego e aumento nos índices de pobreza e miséria. Além disso, seguem completamente paralisadas as políticas voltadas à construção de moradia popular, urbanização de favelas, saneamento e mobilidade. O golpe também atinge espaços de participação social como as Conferências e Conselhos, igualmente paralisados. Por isso, é fundamental a soma de esforços entre os movimentos urbanos, trabalhadores e o conjunto dos movimentos sociais em defesa da democracia.

 
Na Marcha Nacional pelo Direito à Cidade, exigimos:

  • Retomada da construção da política nacional de habitação, com investimentos para a urbanização de favelas e regularização fundiária, assistência técnica e melhoria e produção habitacional
  • Retomada dos investimentos no Minha Casa Minha Vida para a faixa mais baixa de renda, com 100 mil unidades por ano para o MCMV Entidades e 100 mil unidades por ano na Habitação Rural
  • Retomada dos investimentos em saneamento e mobilidade
  • Realização da VI Conferência Nacional das Cidades em 2018
  • Retomada imediata do Conselho Nacional das Cidades
  • Retomada de um projeto nacional de desenvolvimento, que garanta nossa soberania, com geração de empregos, fortalecimento da nossa economia, em especial da nossa indústria
  • Revogação da EC 95/2016, que limita os gastos em políticas sociais, em especial da saúde, educação e redes de proteção social
  • Revogação das mudanças na legislação Trabalhista e da Terceirização, que fragilizam as relações de trabalho, a organização sindical do trabalhador e beneficiam somente o patrão
  • Proteção dos serviços públicos da ameaça da privatização, principalmente nos serviços de saneamento, energia e na defesa da Caixa Econômica Federal.

Em defesa da Democracia!

Pelo direito à moradia digna!


Pesquisa "Viver em São Paulo - Maio Ambienter"


Meio Ambiente

No próximo dia 13 de junho, a Rede Nossa São Paulo e o Ibope Inteligência, em parceria com o Sesc São Paulo, apresentarão os resultados da pesquisa "A cidade e o meio ambiente". O levantamento integra a série "Viver em São Paulo", que foi iniciada este ano e mensalmente tem divulgado dados sobre a percepção dos paulistanos em relação a temas importantes que afetam a vida na capital paulista.

Entre as perguntas relacionadas ao meio ambiente que os moradores da cidade responderam na pesquisa estão: de uma maneira geral, como você avalia a preservação e manutenção das praças e parques da cidade de São Paulo; você ou alguém que mora com você, separa os materiais recicláveis da sua casa dos materiais não recicláveis; e quais medidas você acredita que mais ajudariam a diminuir a poluição da cidade.

Propositalmente, a apresentação dos resultados do levantamento "A cidade e o meio ambiente" será realizada no Sesc Interlagos - um espaço com muito verde situado à beira da Represa Billings, na zona sul de São Paulo.

A atividade inclui um debate com especialistas e ativistas ambientais, que poderão avaliar os dados apurados na pesquisa. E também contará com uma apresentação do Sarau do Binho.

Como novidade, as organizações promotoras da iniciativa estão programando uma caminhada pelo centro campestre, para conhecer a biodiversidade do local. Por essa razão, a sugestão é que os participantes venham com tênis ou calçado confortável.



Para confirmar sua presença, clique aqui.