Informamos a todos, que as postagens inseridas neste blog, são de autoria de seus respectivos produtores, e,
cabe a cada um deles a responsabilidade pela autoria dos itens, bem como o teor de seu conteúdo.

Como veículo de divulgação de informação, temos a responsabilidade de divulgar os itens,
tal qual o que é remetido à nossa assessoria de imprensa.


WhatsApp 11 972914716

Qualquer contato conosco deverá ser efetuado através do "Formulário de Contato", disponível no final desta página (rodapé).

Da periferia para o mundo apresentamos 'Poesias que escrevi com fome', do autor André D'Soares



Jovem talento literário que despontou na Internet, destacadamente no Facebook, é o paulistano André D'Soares, estreando em 2016 com um livro de contos (Cheiro de Mofo, Penalux).

Seu segundo livro, uma coletânea poética cuja irreverência já se estampa no título – "Poemas que escrevi com fome" –, tem conquistado, pela força crua de seus poemas, muitos leitores desde o seu lançamento em maio deste ano.


André é um escritor nascido e crescido na periferia da grande São Paulo, onde ainda vive em meio a inúmeras dificuldades. Neste ambiente muitas vezes hostil para quem sonha com literatura, o escritor extrai a matéria-prima para sua escrita, na qual destila um humor corrosivo e, por vezes, um senso de realidade que beira o pessimismo, como bem se vê nestes versos do poema "Inspiração" (p. 15-16): Longe da civilização, / Trancado num minúsculo quarto / Sob telhas velhas [...] / Usando o computador, tentei uma poesia. / Uma poesia capaz de sacudir o mundo [...] / Bati nas teclas na mesma proporção / Que a fome batia em minhas tripas; [...] / A inspiração não veio./ E a poesia que iria sacudir o mundo, nem a mim sacudiu. / Eu era mesmo uma farsa ou talvez, só Deus sabe, / A própria poesia, que era impossível de ser transcrita.


Sobre o livro, a jornalista e escritora Nanete Neves escreve na 4ª capa: "Poesia rude, sem técnica nem estética, que fala de amor, abandono, aponta injustiças, denuncia o machismo e os preconceitos, sofre com a indiferença, e prova que a palavra é a arma para virar o jogo. André D'Soares admite que escreve com o desespero daqueles cuja maior dificuldade para emergir na sociedade 'está na diferença de largada'. Essa diferença, o jovem poeta combate debochando com a hipocrisia ou denunciando os opressores, em versos que golpeiam o estômago e nos fazem refletir."

Título: Poesias que escrevi com fome

Autor: André D' Soares

Publicação: 2017

Tamanho: 14x21

 Páginas: 110



Iniciativas como essas da Editora Penalux não só dão voz e vez a jovens talentos, mas, sobretudo, quem sabe, tragam a eles uma perspectiva de um futuro melhor.



  André D' Soares