Informamos a todos, que as postagens inseridas neste blog, são de autoria de seus respectivos produtores, e,
cabe a cada um deles a responsabilidade pela autoria dos itens, bem como o teor de seu conteúdo.

Como veículo de divulgação de informação, temos a responsabilidade de divulgar os itens,
tal qual o que é remetido à nossa assessoria de imprensa.


WhatsApp 11 972914716

Qualquer contato conosco deverá ser efetuado através do "Formulário de Contato", disponível no final desta página (rodapé).

16 a 20.09 Transporte sustentável é tema de novo fórum online

 
Transporte sustentável é tema de novo fórum online

Todos os anos, em 22 de setembro, é promovida uma campanha mundial – o Dia Mundial Sem Carro -, que pretende estimular o uso de transportes coletivos. Este é um movimento que começou em algumas cidades da Europa nos últimos anos do século 20, e desde então vem se espalhando pelo mundo, ganhando a cada edição mais adesões nos cinco continentes. Trata-se de um manifesto que pretende levar a uma reflexão sobre os gigantescos problemas causados pelo uso intenso de automóveis como forma de deslocamento, sobretudo nos grandes centros urbanos, e um convite ao uso de meios de transporte sustentáveis.
 
No Brasil, a discussão em torno de transportes mais sustentáveis vem ganhando fôlego já que as pessoas estão sentindo, em seu cotidiano, cada vez mais dificuldades de deslocamento, impactando também a economia, a qualidade de vida, a saúde e o meio ambiente. Mas para que os cidadãos sejam motivados a deixar o carro em casa e a utilizar transportes públicos, é essencial que o transporte de massa tenha qualidade, eficiência e preço atraente. Por isso, a Rede Mobilizadores promove, de 16 a 20 de setembro, o Fórum Transporte Sustentável.
 
Qualidade do transporte público e clima
Manifestações em todo o país, recentemente, deixaram clara a insatisfação da população com relação à qualidade e ao preço do transporte público de massa. É consenso que este tipo de transporte é a solução para melhorar o trânsito nas grandes cidades, mas pouco se vê de planejamento estratégico para melhoria da sua eficiência e eficácia. A busca por veículos menos poluentes que usem energias mais limpas também é um dos caminhos para se diminuir os problemas.
 
O debate não é simples. Trata-se de priorizar políticas públicas que valorizem o transporte coletivo em detrimento de transportes individuais, levando-se ainda em consideração o planejamento estratégico das cidades e também políticas de redução de poluentes, uma vez que outro desafio brasileiro é reduzir as emissões que agravam as condições ambientais
 
A Política Nacional de Mobilidade Urbana instituída em 2012 (Lei nº 12.587), por exemplo, prevê objetivos que devem ser perseguidos por estados, municípios e pela União, cada um na sua esfera de atuação e competência, em particular nos municípios com mais de 20 mil habitantes. Da mesma forma, a Política Nacional sobre Mudança do Clima (Lei 12.187/2009) estabelece princípios, objetivos e diretrizes para uma política de baixo carbono, o que torna necessária a contemplação das duas políticas nos Planos Municipais de Mobilidade Urbana.
 
Brasil: grande consumidor de veículos

No entanto, o que se vê nas cidades brasileiras é um aumento vertiginoso de veículos particulares nas ruas; ônibus com tarifas caras, mal conservados, superlotados, contribuindo sobremaneira para um trânsito cada vez mais caótico e para degradação da qualidade de vida da população. Em 10 anos, o Brasil deixou de ser o 9º para tornar-se o 4º maior comprador de veículos novos no mundo. De acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatram), se em 2002 havia cerca de 36 milhões de veículos nas ruas, hoje são 80 milhões. Os malefícios causados pelo uso de automóveis são inúmeros e evidentes: poluição atmosférica e sonora, doenças respiratórias, sedentarismo, irritabilidade, perda de tempo em congestionamentos, acidentes, comprometimento de grande parte da renda das pessoas. 
 
Uma conta simples dá uma ideia do impacto gerado pelos veículos particulares: para transportar 25 mil pessoas, um trem que carrega em média 2.900 passageiros, precisa dar apenas 9 viagens. Para transportar o mesmo número de pessoas de carro seriam necessárias 14 mil viagens. Além disso, um ônibus com 80 passageiros ocupa um espaço físico de apenas 30 m2, enquanto que para transportar 80 pessoas de carro seriam necessários 40 carros ocupando cerca de 733 m2 (ver animação https://www.youtube.com/watch?v=JMAo6Vvhka4). Porém, muitas vezes, a opção pelo carro particular não é simplesmente uma escolha, mas uma necessidade em meio a um sistema de transporte coletivo mal planejado e pouco atraente.
 
Transporte Sustentável 
As opções disponíveis para a viabilização de um trânsito mais humanizado, no qual as pessoas interagem melhor com o ambiente a sua volta, são muitas. As bicicletas estão no topo da lista e são indicadas para pequenos deslocamentos nas cidades. Mas, para estimular seu uso são necessários investimentos em ciclovias, faixas exclusivas, acesso a aluguel de bicicletas públicas, assim como bicicletários disponíveis e educação no trânsito, uma vez que o ciclista é mais vulnerável. Da mesma forma, para as demais opções, como metrôs, trens, VLTs, ônibus, é preciso planejamento de longo prazo, adequação ao desenho das cidades, uso de combustíveis menos poluentes e previsão de crescimento da demanda ao longo dos anos.
 
A atividade acontece no Eixo de Meio Ambiente, Clima e Vulnerabilidades.

Fonte:

Autor:

http://www.mobilizadores.org.br/coep/Publico/consultarConteudoGrupo.aspx?TP=D&CODIGO=C201391120350236&GRUPO_ID=15

--
 Flavia Loureiro - Núcleo dos Amigos do Brooklin
"INFORMAÇÃO" Direito e Dever de tod@s Art.5ºXIV,CRFB/Cap.40 Agenda 21


"Informação causa mudanças" Flavia Loureiro