Informamos a todos, que as postagens inseridas neste blog, são de autoria de seus respectivos produtores, e,
cabe a cada um deles a responsabilidade pela autoria dos itens, bem como o teor de seu conteúdo.

Como veículo de divulgação de informação, temos a responsabilidade de divulgar os itens,
tal qual o que é remetido à nossa assessoria de imprensa.


WhatsApp 11 972914716

Qualquer contato conosco deverá ser efetuado através do "Formulário de Contato", disponível no final desta página (rodapé).

O "BUZÃO" lotado!



Sexta-feira, final da tarde. O ônibus está lotado. Horário de pico é sempre uma aventura para quem pega ônibus.  Todo mundo se empurrando, o trocador pedindo para darmos "um passinho para trás", gente gritando, bebês chorando, alguém conversando no celular um pouco alto, um funk tocando e ninguém nunca desce do ônibus, nunca. Só entra, ninguém sai.

No final do ano, tudo piora. Além de estudantes e trabalhadores, se juntam ao transporte público pessoas que vão comprar presentes. E como é verão, chove no final da tarde. E chove muito, com pingos grossos e gelados. Então encontramos nos ônibus pessoas cansadas, molhadas, segurando sombrinhas e guarda-chuvas, além de tudo o que habitualmente acontece. E como sempre, o ônibus para a cada metro, por causa do transito que flui normalmente.

O que fazer para se distrair? Se você está sentado, existem várias opções. Ouvir música, ler um livro, jogar cobrinha no celular e, a mais utilizada, dormir. Claro que você corre o risco de ser assaltado, mas eu costumo fechar os olhos e segurar bem minha bolsa. Quanto a passar do ponto de descida, isso nunca acontece. Já tem um despertador dentro de mim.

E se você estiver em pé, o que provavelmente é o mais corriqueiro, você pode ouvir música, ou se distrair com as conversas alheias, dar uma olhada no que a pessoa que está sentada no campo de sua visão está lendo, pensar sobre a vida e o mistério do planeta, contar postes (sim, eu já fiz isso), e conversar consigo mesmo.

O que não pode, nesse momento estressante do dia, é ficar bravo por qualquer coisa. Aprendi, já que sou uma pessoa "esquentadinha", que me estressar não me leva a nada, meu dia apenas fica pior. Comecei a me divertir com as coisas que aconteciam ao meu redor e a pensar que poderia ser pior.

No final, o que vale é a sensação de chegar em casa, tomar um banho, comer e continuar com o dia. Infelizmente, ainda não inventaram o teletransporte. Enquanto esperamos ansiosamente por esse dia,  utilizemos o ônibus com alegria e muita paciência.

Por: Susana Reis (Literatortura)
    DIVULGAÇÃO    http://facebook.com/digitalradiotv