Informamos a todos, que as postagens inseridas neste blog, são de autoria de seus respectivos produtores, e,
cabe a cada um deles a responsabilidade pela autoria dos itens, bem como o teor de seu conteúdo.

Como veículo de divulgação de informação, temos a responsabilidade de divulgar os itens,
tal qual o que é remetido à nossa assessoria de imprensa.


WhatsApp 11 972914716

Qualquer contato conosco deverá ser efetuado através do "Formulário de Contato", disponível no final desta página (rodapé).

Ferramentas online oferecem informações de contas públicas de forma simplificada


Plataformas digitais foram apresentadas na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara nesta quarta-feira (31)

Os responsáveis pela plataforma digital Fiscalize Agora e pelo portal Diagnóstico Público fizeram uma apresentação das duas ferramentas na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara, nesta quarta-feira (31).

Os dois utilizam dados públicos de prestações de contas de prefeituras, estados e União com o objetivo de disponibilizar as informações de uma maneira mais amigável. É o que explicou um dos desenvolvedores dos sites, Matheus Moreira.

"A gente completou cinco anos da Lei da Transparência e isso fez com que todos os órgãos, desde prefeituras e até todo o Governo Federal, passassem a ter em seus portais disponibilizados dados financeiros e contábeis, mas a gente percebe que ainda existem grandes problemas nesta transparência: a falta de usabilidade destes portais; características técnicas - geralmente são abordadas questões de contabilidade pública, usando uma terminologia que fica difícil para o cidadão alcançar; ausência de padrões; indisponibilidade e lentidão - é muito comum entrar em um portal e ele estar fora do ar ou demorar muito a retornar a consulta".

O fiscalizeagora.org é mais simples e aberto. O interessado pode fazer pesquisas de gastos em um determinado município, utilizando apenas palavras-chave. Já o diagnóstico público é direcionado para gestores públicos e interessados em dados mais detalhados sobre os gastos de cada ente federativo. É possível pesquisar empresas que mais contratam com cada governo e até as que não poderiam contratar por estarem impedidas pela Controladoria Geral da União.

Questionado sobre os planos para o futuro pelo presidente da comissão, deputado Wilson Filho (PTB-PB), Matheus explicou que a ideia é tornar a análise dos dados mais sofisticada para que o próprio sistema identifique indícios de irregularidades no uso dos recursos públicos. Mas ele explicou que a qualidade dos dados nem sempre é boa e citou como exemplo despesas que não aparecem relacionadas com nenhuma função específica.



RADIOAGÊNCIA

Nenhum comentário:

Postar um comentário