Informamos a todos, que as postagens inseridas neste blog, são de autoria de seus respectivos produtores, e,
cabe a cada um deles a responsabilidade pela autoria dos itens, bem como o teor de seu conteúdo.

Como veículo de divulgação de informação, temos a responsabilidade de divulgar os itens,
tal qual o que é remetido à nossa assessoria de imprensa.


WhatsApp 11 972914716

Qualquer contato conosco deverá ser efetuado através do "Formulário de Contato", disponível no final desta página (rodapé).

Sítio Mirim, um patrimônio histórico abandonado na Vila Jacuí

 
Na avenida Assis Ribeiro, altura do número
 
9500 e ao lado do bairro União de Vila Nova,
 
região do distrito de vila Jacuí, zona leste
 
da capital paulista, estão as ruínas da Casa
 
Bandeirista do Sitio Mirim. Um patrimônio
 
histórico tombado pela Secretaria Municipal de
 
Cultura no ano de 1973.
 
 

O local conta um pouco da história de São
 
Paulo, pois é um espaço que mostra um pouco do
 
que foi a vida rural na época do Brasil
 
Colônia. Para os arqueólogos, o maior valor
 
está no subsolo, onde estão enterrados os
 
artefatos utilizados no século 16 e 17.
 

 

O provável morador foi o guarda-mór Francisco
 
de Godoy Preto, que a construiu por volta de
 
1750. Há historiadores que afirmam que, pelo
 
estilo da construção da casa, ela pode ser
 
ainda mais antiga.
 
 
 
Madeiras raras nas portas e paredes em taipa
 
de pilão podem ser apreciadas nas ruínas. A
 
casa rural foi utilizada como parada dos
 
bandeirantes no século 18. O Serviço do
 
Patrimônio Histórico e Artístico Nacional
 
(SPHAN) guarda um registro fotográfico da casa
 
ainda preservada em novembro de 1945.
 
 
 
Após 39 anos do tombamento, no entanto, pouco
 
foi feito pela conservação do local e a cada
 
ano que passa há menos o que se preservar.
 

 

O telhado da construção não resistiu ao tempo
 
e caiu há muitos anos, e algumas das paredes
 
também já desabaram. Há rachaduras por toda
 
parte e, além disso, há pichações nas paredes
 
e não é raro encontrar lixo acumulado ali.
 
 
 
A ausência de uma placa de identificação no
 
local e a falta de iluminação nas ruínas
 
contribui para a depreciação e esquecimento do
 
sítio.
 

 

Por: Vander Ramos.
 Vander Ramos, 51, é correspondente do Itaim Paulista.
@vander521
vander.mural@gmail.com
 
Fonte:
mural.blogfolha.uol.com.br/2012/07/11/sitio-mirim-um-patrimonio-historico-abandonado-na-vila-jacui/