Informamos a todos, que as postagens inseridas neste blog, são de autoria de seus respectivos produtores, e,
cabe a cada um deles a responsabilidade pela autoria dos itens, bem como o teor de seu conteúdo.

Como veículo de divulgação de informação, temos a responsabilidade de divulgar os itens,
tal qual o que é remetido à nossa assessoria de imprensa.


WhatsApp 11 972914716

Qualquer contato conosco deverá ser efetuado através do "Formulário de Contato", disponível no final desta página (rodapé).

Eagles of Death Metal volta a Paris após atentado terrorista para tocar com o U2


Eagles of Death Metal volta a Paris após atentado terrorista para tocar com o U
Menos de um mês depois dos ataques terroristas a Paris, o Eagles of Death Metal voltou a subir em um palco na capital francesa. A banda, que se apresentava na casa de shows Bataclan no dia 13 de novembro quando criminosos invadiram o local e mataram 89 espectadores, foi convidada para tocar junto com o U2 nessa segunda-feira, 7.
Artistas prestam homenagens as famílias e as vítimas dos ataques terroristas em Paris .
"Eles foram expulsos do palco há três semanas, então, gostaríamos de oferecer a eles o nosso espaço nesta noite", o vocalista Bono disse à plateia, segundo o U2Start. O grupo norte-americano tocou "People Have the Power", de Patti Smith, junto com o U2. Em seguida, os integrantes da banda irlandesa deixaram a cena para que o Eagles of Death Metal mostrasse
"I Love You All the Time".
Assista:


Em uma emocionada entrevista à Vice, na qual eles também comentaram os momentos de horror vividos na fatídica noite em Paris, os integrantes do Eagles of Death Metal já haviam manifestado a vontade de retornar à cidade.
"Queremos ser os primeiros a tocar no Bataclan", dizem fundadores do Eagles of Death Metal .
"Posso estar assustado, mas não vejo a hora de voltar a Paris, não vejo a hora de voltar a tocar. Quero ser a primeira banda a tocar no Bataclan quando o local reabrir", diz Jesse Hughes, que assim como no dia 13 de novembro, nessa segunda-feira, 7, não teve a companhia do outro fundador da banda, Josh Homme, líder do Queens of The Stone Age.
Nenhum dos músicos foi ferido pelos disparos no Bataclan, mas o britânico Nick Alexander, que acompanhava os artistas vendendo produtos da banda, não sobreviveu – "Nick protegeu um amigo dele", disse Homme. Thomas Ayad, Marie Mosser e Manu Perez, da gravadora do grupo, também não conseguiram escapar com vida.

  ***Digitalradiotv


Nenhum comentário:

Postar um comentário