Informamos a todos, que as postagens inseridas neste blog, são de autoria de seus respectivos produtores, e,
cabe a cada um deles a responsabilidade pela autoria dos itens, bem como o teor de seu conteúdo.

Como veículo de divulgação de informação, temos a responsabilidade de divulgar os itens,
tal qual o que é remetido à nossa assessoria de imprensa.


WhatsApp 11 972914716

Qualquer contato conosco deverá ser efetuado através do "Formulário de Contato", disponível no final desta página (rodapé).

Programa de Educação para o Trabalho recebe inscrições


Fruto de parceria entre o Instituto Votorantim, a Votorantim Metais, o Instituto Alana e o Senac, o Programa de Educação para o Trabalho – PET atende adolescentes entre 15 e 18 anos com o objetivo de facilitar o acesso dos jovens ao mercado de trabalho. O programa já beneficiou 626 jovens, colaborando para que 63% deles tenham conquistado o primeiro emprego. Interessados em participar de uma das turmas do segundo semestre de 2013 podem inscrever-se até 15 de junho.

Segundo Simeia Ferreira Soares, coordenadora do PET e do Instituto Alana, o programa, que busca desenvolver a percepção crítica, a iniciativa, o discernimento e a criatividade, é uma ferramenta de fortalecimento do jovem que está ingressando no mercado de trabalho. “Durante as aulas, os jovens também são orientados sobre aspectos relacionados à Consolidação das Leis do Trabalho – CLT e ao Estatuto da Criança e Adolescentes – ECA. Em todas as visitas orientadas e espaços para vivência existe essa preocupação e tomamos cuidado para visitar empresas e instituições que tenham como missão e como valores garantir a segurança e o respeito às leis trabalhistas”, informou a coordenadora. A legislação brasileira proíbe o trabalho de adolescentes com até 18 anos em empregos noturnos, perigosos ou insalubres. Já os adolescentes com menos de 16 anos não podem trabalhar, salvo, a partir de 14 anos, na condição de aprendiz.

Ainda de acordo com Soares, o PET propõe reflexões sobre as principais características e exigências da organização atual do trabalho e questões relacionadas à cidadania. Entre as competências trabalhadas estão informática, saúde e qualidade de vida, marketing pessoal, atitude empreendedora, comunicação, tecnologia das transações comerciais e recepção e atendimento de clientes.

As visitas a empresas e organizações, segundo Soares, contribuem para que os jovens tenham contato com profissionais e conheçam melhor a carreira que almejam. Ao final do programa, é oferecida a oportunidade de um período de experiência em uma empresa. Além disso, são promovidas visitas a teatros, museus e cinemas como forma de aproximar os adolescentes do universo da cultura e ampliar seu repertório.

De acordo com o Panorama Laboral de 2012, da Organização Internacional do trabalho – OIT, o desemprego juvenil urbano na América Latina é três vezes maior que entre os adultos, atingindo 14,3% da população na faixa etária. Além das políticas para a formação profissional já em curso, como o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego – Pronatec, criado em 2011, este ano foi anunciada a elaboração do Plano Nacional de Trabalho Decente para a Juventude. Com base na Agenda Nacional de Trabalho Decente para a Juventude, o plano deverá promover o trabalho respeitando os direitos dos adolescentes e combatendo situações de exploração.

Cada edição do PET tem duração de seis meses, contemplando duas turmas de 30 alunos por período. Para o ingresso no programa, é necessário que o adolescente esteja cursando ou tenha concluído o 9º ano do Ensino Fundamental. Para participar de uma das turmas do PET, durante o segundo semestre de 2013, é preciso entrar em contato com Regiane ou David na unidade do Instituto Alana, situada na Rua Borboleta Amarela, 481, no Jardim Pantanal, em São Paulo. Os telefones são (11) 2586-4559 ou (11) 2584-4822.

Fonte: VIA Blog



Nenhum comentário:

Postar um comentário