Informamos a todos, que as postagens inseridas neste blog, são de autoria de seus respectivos produtores, e,
cabe a cada um deles a responsabilidade pela autoria dos itens, bem como o teor de seu conteúdo.

Como veículo de divulgação de informação, temos a responsabilidade de divulgar os itens,
tal qual o que é remetido à nossa assessoria de imprensa.


WhatsApp 11 972914716

Qualquer contato conosco deverá ser efetuado através do "Formulário de Contato", disponível no final desta página (rodapé).

ODS Agenda pós 2015 - Novo modelo de desenvolvimento sustentável em debate

 

Novo modelo de desenvolvimento sustentável em debate

Passado um ano da Rio+20, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, esteve na ENSP/Fiocruz na segunda-feira (12/8) para a conferência Objetivos do Desenvolvimento Sustentável: Agenda pós-2015. Na ocasião, a ministra apresentou o legado da Rio+20 para o planeta e seus desdobramentos, destacando, ainda, as cinco linhas de ação que deverão compor o documento Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). Tais objetivos passarão a valer a partir de 2015, em substituição aos Objetivos do Desenvolvimento do Milênio (ODM) da Organização das Nações Unidas (ONU). Confira, também, o vídeo da palestra da ministra Izabella Teixeira no canal de vídeos da ENSP no YouTube.
 

"É chegado o momento de os países desenvolvidos discutirem um modelo efetivo de sustentabilidade", afirmou Izabella Teixeira, citando que a geopolítica do desenvolvimento sustentável deve se tornar uma das soluções para a questão ambiental nos próximos 10 ou 15 anos. Para a ministra, este é o momento em que instituições públicas e privadas devem se unir e fazer escolhas para o futuro da sociedade. Segundo Izabella, uma das diferenças dos ODS para os ODM é fazer os países firmarem compromissos globais para todos, ou seja, tanto os países desenvolvidos como os em desenvolvimento terão seus objetivos e metas a serem alcançados.

A ministra citou estudo da ONU, segundo o qual, até 2030, o mundo será predominantemente oriental e os três países mais populosos serão a Índia, a China e a Nigéria. "Quais os impactos nas questões ambientais ao tentarmos fazer políticas em países não democráticos ou que estão em guerra? Como promover um debate sobre equidade de emissão de CO2 no ambiente em países com mais de 1 bilhão de pessoas, por exemplo?", questionou ela.

O documento que contém a primeira versão dos ODS será apresentado em setembro, na próxima Assembleia Geral da ONU. Segundo a ministra, que integra o Painel de Alto Nível sobre a Agenda de Desenvolvimento pós-2015 das Nações Unidas, tais objetivos definem uma mudança na sociedade. "A Eco-92 foi um ponto de chegada, em que se negociou um conjunto de acordos legais, como a Convenção do Clima e a Convenção da Biodiversidade. A Rio+20 foi um ponto de partida. A partir do que foi definido aqui, há um caminho de negociação e novos horizontes", disse.

Durante sua exposição, a ministra enfatizou que é insuficiente avançar no debate de um modelo de desenvolvimento centrado no homem, sem que a pesquisa voltada para a área da saúde esteja em pauta. "Temos de aprender a lidar com as vulnerabilidades existentes em nosso país", ressaltou. Segundo Izabella, questões como inclusão social, erradicação da pobreza e promoção de uma economia verde estão entre os aspectos contemplados pelos ODS e que devem pautar as discussões atuais.

Vídeo: Conferência Objetivos do Desenvolvimento Sustentável: Agenda pós-2015 - ministra Izabella Teixeira
 

youtube.com/watch?v=7sIVr5Weg0c

ensp.fiocruz.br/portal-ensp/informe/site/materia/detalhe/33379

--
 Flavia Loureiro - Núcleo dos Amigos do Brooklin
"INFORMAÇÃO" Direito e Dever de tod@s Art.5ºXIV,CRFB/Cap.40 Agenda 21